Nome *
Data de Nascimento *
dia-mês-ano
E-mail *
Telefone *
Username *
Password * (duas vezes)

Mínimo 6 caracteres e sem espaços

Morada
Código Postal
Localidade
Profissão
Contribuinte
 

* Campos de preenchimento obrigatório




Confidencialidade
Siga-nos
Topo

    Volta ao mundo em 200 famílias

    E se pudesse conhecer as diferenças que existem no mundo a partir de fotografias de família, organizadas por rendimento?

    Dollar Street é o nome do novo projeto da Gapminder Foundation, uma organização não-governamental sueca cujo objetivo é mostrar ao mundo as suas próprias diferenças, através de dados estatísticos.

    Com este novo projeto, a fundação cumpre a missão de uma forma original: através de fotografias. No site do projeto, pode ler-se: “Imagine o mundo como uma rua. Todas as casas estão alinhadas por rendimento, os pobres à esquerda e os ricos à direita. Todos os outros estão algures pelo meio. Onde é que viveria?”.

    Numa galeria digital de mais de trinta mil imagens, são apresentadas fotos de diferentes famílias, cujos rendimentos mensais se situam entre os 27 e os 11 mil dólares por mês, por exemplo, em países tão distantes como o Burundi, a Índia, a China e a Letónia. A ideia é ensinar o mundo a conhecer-se a ele próprio. Ou antes, dar a conhecer as diferenças culturais, sociais e económicas e respetivas realidades, através de fotografias.

    O projeto é da autoria de Hans Rosling, o sueco que, em 2009, foi considerado um dos 100 mais importantes pensadores do mundo, pela Foreign Policy Magazine e, em 2011, uma das 100 pessoas mais criativas no mundo dos negócios, pela the Fast Company Magazine. Hans foi consultor da ONU, de Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, de Al Gore, de Fidel Castro, e da Fundação Bill e Melinda Gates.

    No total, são 200 lares fotografados em perto de 50 países. A imagem principal é a da família, mas assim que clica na imagem, surgem pormenores como animais de estimação, objetos, divisões da casa, etc.

    Para que o projeto seja possível, os fotógrafos passam um dia inteiro com a família, captando imagens dos seus membros e de pormenores (um máximo de 135 objetos).

    No final fica a pergunta: apesar dos rendimentos díspares, seremos todos assim tão diferentes?

    Veja mais em Sociedade

    PUB