[wlm_register_Passatempos]
Siga-nos
Topo

Brunch em família

“Ovos mexidos. Onde é que estão os ovos mexidos?”, pergunta a criança que tenho pela mão e que adora pequenos-almoços de hotel. “Filho”, digo eu, “estamos num brunch, o que nem sempre significa que haja tudo o que há na primeira refeição do dia.” Não convencido, o rapaz de 7 anos percorre todas as secções do buffet, para nos queijos, quer provar uma variedade de sabores, recusa o gaspacho que eu coloco no meu prato. À falta de ovos, escolhe uma terrina dourada que se assemelha aos desejados ovos mexidos, leva um pãozinho e completa com arroz basmati. O meu brunch é completamente distinto: depois do gaspacho e do couscous, passo à barra do sushi, provo pela primeira vez sashimi de garoupa e delicio-me com o atum tão fresco.

Voltamos para a mesa, onde os nossos sumos de fruta nos esperam. Comemos contentes quando nos perguntam se queremos ovos, ou panquecas, ou waffles, ou crepes, ou se queremos de tudo. O rapaz que eu tinha pela mão diz-me: “Posso comer ovos mexidos?” Feliz e contente e de barriga cheia, faz-me uma nova pergunta: “Posso ir ter com a Mini?” A Mini é uma animadora que faz esculturas de balões e que se encarrega do meu filho e de outras crianças que, como nós, foram convidadas para experimentar o primeiro brunch de domingo do restaurante Flor-de-Lis, no Hotel Epic Sana Lisboa.

Aproveito a pausa nas obrigações maternais para dar mais atenção à conversa. Falamos de viagens (as que fizemos, as que planeamos), falamos das mulheres nesses países e da condição feminina cá, falamos de revistas, de notícias e da vida. Dou por mim a achar que devia fazer isto mais vezes – ficar descansada porque alguém lá ao fundo está a tomar conta dos mais pequenos enquanto nós temos conversas de adultos, quase sem interrupções. Contei apenas duas: “Mãe, posso jogar consola?” e “Mãe, posso pintar a cara?”

Bom, e uma terceira em que um rapazinho com cara de caveira e chapéu de chef, ligeiramente aparentado com o meu, me traz um marshmallow com chocolate, que acabou de fazer com o chef Patrick Lefeuvre. Hummm, estava mesmo bom!

Estivemos umas três horas à mesa, sem pressas para nada, cada um dos convidados a provar coisas diferentes, desde sopa a rosbife, passando por saladas, frango e pratos mais exóticos. E conversámos! E relaxámos.

“Ovos mexidos, mãe”, é a resposta que oiço quando pergunto ao rapaz que levo novamente pela mão do que é que gostou mais nesta manhã. “Dos ovos mexidos.” O brunch de domingo no Epic Sana Lisboa é novo, mas também é bom saber que há coisas que não mudam.

Detalhes:

Brunch no Restaurante Flor-de-Lis, no Hotel Epic Sana Lisboa, todos os domingos, das 12h às 16h. Preço por pessoa: €29 (sem bebidas); crianças até aos 6 anos, grátis; crianças dos 7 aos 12: €14,50. Estacionamento gratuito no parque do hotel. Para marcar o lançamento do novo brunch EPIC, durante o mês de março, todos os adultos beneficiam de acesso gratuito à zona acqua do spa Sayanna Wellness.

Veja mais em R3dação

PUB