Nome *
Data de Nascimento *
dia-mês-ano
E-mail *
Telefone *
Username *
Password * (duas vezes)

Mínimo 6 caracteres e sem espaços

Morada
Código Postal
Localidade
Profissão
Contribuinte
 

* Campos de preenchimento obrigatório




Confidencialidade
Siga-nos
Topo

    Atitude do mês: poupar!

    Que o dinheiro não estica já todas sabemos, no entanto existem alguns mecanismos fáceis de implementar que a podem ajudar a economizar.

    No primeiro mês do ano a atitude que sugerimos é poupar. Na LuxWOMAN de janeiro contamos-lhe 13 formasque a poderão ajudar a economizar ao longo de 2017 e aqui partilhamos já as primeiras cinco.

    1. Renda-se ao Cabaz do Peixe!

    Assim que entramos no site, a primeira coisa que nos ocorre é: como é que nunca ninguém se lembrou disto antes? Como é que funciona? Só precisa de ir a Cabaz do Peixe encomendar e selecionar três espécies de peixe que não quer receber. Depois só tem de escolher a periodicidade (semanal, quinzenal, único), o local de entrega e preencher os dados. As entregas são feitas em Sesimbra, Quinta do Conde, Palmela, Arrentela/Seixal e Lisboa todas as semanas ou de 15 em 15 dias, dependendo do local. O pagamento é feito aquando da entrega, custa €20 e inclui 3 kg de peixe (por amanhar).

    2. Tome nota de todos os seus gastos.

    Porque só assim poderá chegar ao fim do mês e ter uma ideia clara e precisa de onde gastou o seu dinheiro. Ou melhor, se o gastou bem ou mal, se o comprou apenas bens essenciais ou perdeu-se em pormenores supérfluos que não lhe deram assim tanto gozo. É óbvio que pode anotar tudo num bloco ou numa folha de excel, ou quem sabe render-se ao KAKEBO (livro de contas de economia doméstica). Este é um fenómeno no Japão, mas que é cada vez mais usado noutros países incluindo Portugal. O método é muito simples e passa por registar as receitas e as despesas fixas que se dividem em quatro categorias: básicos, lazer, cultura, extras. Quando chegar ao fim basta fazer as contas, subtraindo os gastos aos ganhos e perceber se está ou não a poupar. Para que o processo seja ainda mais proveitoso siga as dicas de poupança mensais de Ana R. Bravo especialista em finanças pessoais a autora do livro ABC da Poupança.

    3. No limite dos prazos de validade.

    Existem alguns supermercados que fazem promoções especiais nos produtos, cujo prazo de validade está a terminar. Se não tiver nenhum junto da sua área de residência e quiser aproveitar os preços mais em conta pode sempre recorrer ao Good After, um supermercado online que vende produtos que se encontram perto do fim do prazo de consumo preferencial ou que ultrapassaram esse prazo. Imaginemos por exemplo um pacote de amendoins com mel (75g) que custava €1, custa agora €0,50, e ainda faltam 18 dias para atingir o prazo de consumo recomendado. O supermercado está dividido em oito eixos: mercearia; bebidas; saúde e bem-estar; beleza e higiene; casa, jardim e auto; animais; bio; comida do mundo e as entregas são grátis para compras superiores a €49.

    4. Planeie a sua viagem com tempo.

    Faça as reservas e compre os bilhetes de avião com tanta antecedência quanta lhe seja possível. Desta forma conseguirá tarifas bem mais em conta do que se comprar a uma semana ou duas do voo. Sabia que na CP também faz descontos até 65%se comprar o seu bilhete com 5, 8 ou mais dias de antecedência?

    5. Atualize o seu empréstimo à habitação.

    Há quanto tempo não fala com o seu banco e não pede uma atualização do seu spread? Todos sabemos que existe uma concorrência feroz entre as instituições bancárias, por isso não custa nada colocar a questão em cima da mesa e aguardar pelos bons resultados. Se não o quiser fazer sozinho ou achar que não tem capacidade de argumentação suficiente, peça ajuda ao Doutor Finanças. Esta é uma empresa especializada na área, que presta serviços de renegociação de créditos, ou seja, vai fazer o possível para reduzir o seu crédito à habitação. A boa notícia é que a pessoa só paga, se o objetivo for cumprido: baixar o crédito. Trocando tudo por miúdos, imaginemos que o seu crédito era de €100, o Doutor Finanças consegue que fique a pagar €80, ou seja há uma redução de €20 e é sobre este valor que se vão calcular os honorários, multiplicando estes €20 por dois, ou seja €40. Seria esse o valor que iria pagar pelo serviço. Estes são apenas números exemplificativos para ter uma ideia daquilo que estamos a falar. Pode inscrever-se nos cursos gratuitos de finanças pessoais e orçamento familiar e poupança. Se quiser saber mais, inscreva-se na newsletter e receba no seu mail sugestões de poupança e investimento.

    Veja mais em Lifestyle

    PUB