[wlm_register_Passatempos]
Siga-nos
Topo

Mate S: o novo topo de gama da Huawei

Iniciei setembro com um novo companheiro, o Huawei Mate S, o mais recente smartphone da série Mate da multinacional chinesa.

Desde o dia 2 que o tenho comigo, e a cada dia que passa fico mais maravilhada com as funcionalidades deste telemóvel. O uso que lhe tenho dado vem comprovar as boas impressões com que fiquei do aparelho logo que o vi, em Berlim, onde foi apresentado.

Pouco passava das 15h (hora local) quando Richard Yu, CEO da Huawei, subiu ao palco do Max-Schmeling-Halle para apresentar oficialmente o telemóvel. E fê-lo sem demoras, perante uma plateia de jornalistas de todo o mundo.

O pavilhão, outrora às escuras, somente iluminado pelas luzes dos telemóveis, tablets e computadores de toda a imprensa presente, encheu-se de luz e de cor para receber o tão aguardado smartphone, que alia uma inovadora tecnologia a um design premium, de luxo.

Confesso que não estou habituada a telemóveis tão grandes, mas não me choca o facto de o novo Huawei ter um ecrã de 5.5 polegadas de comprimento. A espessura, de 7,2 mm, também faz deste o telemóvel mais fino que já tive em mãos. E o peso? Apenas 156 g. É leve, muito leve.

Depois de o observar, parto à descoberta do telemóvel, que rapidamente se torna um “brinquedo” nas minhas mãos. Eu, que não acompanho ao detalhe as novidades tecnológicas, vejo-me perdida neste novo mundo de deteção de impressões digitais e force touch.

O toque é o cerne do Mate S, como tão bem reforçou Richard Yu ao longo da apresentação, e como posso agora comprovar. É possível, por exemplo, abrir a aplicação da Meteorologia (Weather) ao desenhar, com o nó dos dedos, um W no ecrã principal, ou a aplicação de Música (Music), desenhando um M. Uau!

Isto graças à tecnologia Knuckle Control, introduzida pela primeira vez no Huawei P8, e que vem simplificar o modo como os utilizadores alternam entre as aplicações e tiram screenshots.

A tecnologia Fingerprint 2.0 também me conquistou. No Huawei, o botão que deteta a impressão digital situa-se na parte traseira, abaixo da câmara. Através dele é possível não só desbloquear o telemóvel como também captar imagens. Acho que tirar uma selfie nunca foi tão fácil.

E por falar em fotografias, tenho de reconhecer a excelente qualidade das câmaras. Para mim, o melhor deste Huawei é funcionar como uma câmara digital de topo. O telemóvel, que está equipado com uma câmara traseira de 13MP e uma frontal de 5MP, inclui um modo de captura de imagens profissional. Este modo permite o ajuste manual da máquina – ISO, exposição, balanço de brancos e focagem.

No campo do som, o smartphone vem com três microfones inteligentes incorporados que reduzem o barulho de fundo: ótimo para as entrevistas de trabalho!

Em Portugal só estarão disponíveis as versões standard, de 32GB de memória, nas cores Titanium Grey e Mystique Champagne, e custam €649. Já as versões premium, com 64GB, estão disponíveis nas cores Coral Pink e Prestige Gold, e custam €699.

No mesmo evento, a marca chinesa também apresentou o Huawei G8 e o Huawei Watch, o primeiro relógio inteligente da multinacional.

Imagem de destaque: o novo Huawei Mate S e os relógios Huawei Watch.

Veja mais em R3dação

PUB